domingo, abril 16, 2006

AS 20 MELHORES HQS DOS ÚLTIMOS 20 ANOS SEGUNDO A PLAYBOY

1) Akira (Ed. Globo, 1990)
Katsuhiro Otomo criou o mangá que popularizou, no Brasil, o gênero que é um sucesso de vendas no país. Num futuro pós-apocalíptico, uma gangue de motoqueiros tenta evitar a destruição do mundo pelas mãos de crianças paranormais.
2) Área de Segurança Gorazde (Ed. Conrad, 2002)
Nesse trabalho pioneiro de reportagem em quadrinhos, Joe Sacco descreve com desenhos e palavras a guerra da Bósnia no começo dos anos 90. É o Novo Jornalismo com balões.
3) Asilo Arkham (Ed. Abril, 1990)
Com a arte de Dave McKean (o ilustrador das capas de Sandman), Grant Morrison apresenta sua versão distorcida do lado negro (e mais interessante) de Gotham City: o Asilo Arkhan, lar dos mais perigosos psicopatas da cidade. Um dos melhores momentos é quando o Coringa passa a mão na bunda de Batman e pergunta onde está o Robin.
4) Balas Perdidas (Ed. Via Lettera, 1998)
David Laphan mostra com genialidade que estar no lugar errado e na hora errada pode transformar qualquer pessoa num criminoso. E qualquer criminoso numa vítima.
5) Batman: Ano Um (Ed. Abril, 1989)
Depois de contar como seria o futuro do Homem-Morcego em Cavaleiro das Trevas, Frank Miller recontou sua origem. Com os desenhos retrô de David Mazzuchelli, está entre os maiores clássicos dos quadrinhos.
6) Batman: O Cavaleiro das Trevas (Ed. Abril, 1987)
Na visão impiedosa de Frank Miller sobre a cidade de Gotham, Batman fica macho de novo e leva porrada quem disser o contrário!
7) 100 Balas (Ed. Opera Graphica, 2004)
Nessa obra de Brian Azzarello, alguém fornece a pessoas derrotadas uma arma, 100 balas e provas de quem foi que as sacaneou. Uma reflexão sobre dinheiro, poder e moralidade.
8) Como uma Luva de Veludo Moldada em Ferro (Ed. Conrad, 2002)
Uma obra-prima paranóica e perturbadora envolvendo uma esposa distante, um filme SM e um culto, pelo mesmo autor de Mundo Cão, Daniel Clowes.
9) Do Inferno (Ed. Via Lettera, 2000)
Alan Moore e o ilustrador Eddie Campbell brincam com a verdadeira identidade de Jack, o estripador. Enquanto isso, dão uma verdadeira aula de como fazer histórias em quadrinhos.
10) Os Invisíveis (Ed. Brainstore, 2004)
Complicado, misterioso, viciante e divertido. O assustador é que o autor, Grant Morrison, afirma que nessa história magia, viagem no tempo e sexo grotesco são autobiográficos.
11) Love & Rockets (Ed. Via Lettera, 2004)
Jaime e Gilbert Hernandez começaram escrevendo aventuras no espaço e acabaram com roteiros sobre roqueiras punk lésbicas. Comece com Sopa de Gran Peña.
12) Maus (Ed. Cia. das Letras, 2005)
Dois volumes que vão te rachar ao meio. Por meio das terríveis memórias do pai, sobrevivente do Holocausto, Art Spiegelman revive o momento mais cruel do século 20.
13) Marvels (Ed. Abril 1995)
Já imaginou como seria crescer no Universo Marvel? Ver o Homem-Aranha brigando com o Duende Verde enquanto você vai para o trabalho? Kurt Busiek e Alex Ross mostraram como seria (sobre)viver entre essas maravilhas.
14) Monstro do Pântano (Ed. Abril, 1986)
Alan Moore transformou um personagem de segunda linha num ícone dos quadrinhos de horror. No ínterim, criou o selo Vertigo e John Constantine. É o suficiente para você?
15) Ódio (Ed. Via Lettera, 2001)
Enquanto Kurt Kobain e o Nirvana detonavam mentes nos palcos, Peter Bagge mostrava com Buddy Bradley, um impensável anti-herói grunge, que os quadrinhos também tinham muito a dizer a uma geração que não queria dizer nada.
16) Piada Mortal (Ed. Abril, 1989)
Além de contar a origem do Coringa, Alan Moore (num de seus momentos mais sombrios)e Brian Bolland mostram como o Palhaço do Crime tenta enlouquecer o comissário Gordon, torturando-o e mostrando fotos de como atirou, aleijou e aparentemente sodomizou sua filha Bárbara (a Batgirl original).
17) Sandman - Mestre dos Sonhos (Ed. Globo, 1989)
Série fantástica de Neil Gaiman. Colecionados em 10 volumes, Sandman é um mito moderno, que vem a provar por que as histórias que contamos são tão importantes.
18) Sin City - Cidade do Pecado (Ed. Devir, 1996)
Frank Miller recriou os quadrinhos policiais. Colocou anti-heróis e prostitutas com coração de ouro numa cidade sedutoramente inesquecível. Cinematográfico até o último quadro.
19) Transmetropolitan (Ed. Brain Store, 2002)
Warren Ellis e Darick Robertson criaram um Hunter S. Thompson ainda mais drogado, vivendo e criando caos no século 23. Ficção-científica política irritada e divertida.
20) Watchmen (Ed. Abril, 1987)
Este é um dos quadrinhos que detonou a revolução em 1986. Alan Moore cria um mundo onde os super-heróis perdem sua função e são obrigados a viver como simples mortais. Qualquer semelhança com o desenho animado da Disney Pixar Os Incríveis não é mera coincidência.

Fonte: Revista Playboy

4 comentários:

Gerlande Diogo disse...

Gostei da lista apesar de não ser definitiva.

oriental-massage-chicago disse...

Visit my site for Disco Music http://disco-music.michaelbruce.net/disco-classics-club-rave-dj-music-mountain-top.html

Anônimo disse...

Your are Nice. And so is your site! Maybe you need some more pictures. Will return in the near future.
»

Anônimo disse...

Your are Nice. And so is your site! Maybe you need some more pictures. Will return in the near future.
»