domingo, agosto 20, 2006

PLANETARY – O QUARTO HOMEM

Photobucket - Video and Image Hosting
Planetary é um grupo que tem como missão descobrir os mistérios ocultos do século XX. Por isso são também chamados de Arqueólogos do Impossível. Criação de Warren Ellis com o desenhista John Cassaday, este é um novo clássico das HQs. Roteiros inteligentíssimos, citações das mais variadas áreas da cultura pop (filmes B, músicas, literatura pulp e a própria indústria dos quadrinhos, todas explicadas nos textos do editor Leandro Luigi Del Manto em cada final de capítulo) e uma belíssima arte nesta salada de estilos mais que deliciosa que agrada aos fãs mais exigentes da nona arte.
Nesta edição conhecemos os arquiinimigos do grupo (uma clara homenagem ao Quarteto Fantástico, da Marvel), sabemos quem é o famoso quarto homem do Planetary (aliás, uma revelação inesperada, de deixar o leitor babando, que acontece na história Memória Nublada, que fecha o volume) e vários acontecimentos que pareciam não ter relação começam a se mostrar parte de algo mais grandioso. Uma característica do título é que seus capítulos, cada um separadamente, fazem sentidos, mas também traz algo de novo para a trama geral, assim como Arquivo X fazia na década passada semanalmente na telinha de nossa TV, trazendo uma aventura fechada, mas que acrescentava algo de novo para o universo de Mulder e Scully.
Este segundo volume (o outro é intitulado Mundo Estranho e foi lançado no ano passado) traz as edições originais de número 5 a 12 encadernadas, e vem naquele formato um pouquinho menor que o tradicional americano (o mesmo de Preacher, do qual falei tempos atrás), mas não chega a prejudicar a arte de Cassaday (o que chega a prejudicar é a impressão, um pouco inferior a outros títulos da Devir). Alem das oito histórias, o livro ainda traz as capas originais, um prefácio de Joss Whedon (roteirista de Astonishing X-Men e criador de Buffy), além dos já citados textos explicativos nos intervalos de cada capítulo. Essencial.

7 comentários:

Marcelo disse...

Planetary é otimo, ja li tudo que saiu ate agora e é perfeito...

B0bY disse...

Planetary é ótimo. Uma das únicas coisas que eu aguentei ler por scans (não tenho paciência mesmo pra isso...). Um dia ainda compro o que saiu por aqui.

L.U.W.I.G disse...

Particularmente, odeio essa mudança de 'tamanho' de um Volume para o outro, e um pouco, os textos de Luigi Del Manto após cada 'edição'.

Algo que ele costuma também fazer também (excessivamente) em, subestimando a inteligência do leitor. Vá lá a conclusão dele, que, em verdade, é ótima, mas nos outros, o leitor desavisado perde um pouco no quesito 'imaginação' e deixa todo processo meio preguiçoso.

É como você disse, a impressão é que Planetary daria um pusta seriado de televisão, e o final desse 2º Volume é 'End Season' arrebatador!

Abração.

Reginaldo Yeoman disse...

Não gostei do texto do Luigi Del Manto também. E já vi um pessoal fazendo um elogio rasgado para aquela pesquisa rápida que o cara fez.

Se deixasse, o Google faria sozinho aquele texto.

L.U.W.I.G disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
L.U.W.I.G disse...

Ops... Tava voando, eu acho:

"Algo que ele também costuma fazer (excessivamente) em 'Tom Strong' subestimando a inteligência do leitor".

Paranoid Android disse...

Bem, ao menos as notas explicativas não vieram no roda-pé de cada página, o q atrapalharia muito a leitura da história.

E Boby, Planetary é uma das poucas séries q me seguro p/ não ler os scans. Essa vale esperar pela versão impressa.