quinta-feira, maio 07, 2009

SEMANA OASIS - PT 4

(texto extraído da BIZZ # 175, fevereiro de 2000; texto de Luciano Vianna & Valéria Rossi)


OASIS - STANDING ON THE SHOULDER OF GIANTS

Quando as primeiras informações sobre o novo disco do Oasis surgiram na imprensa britânica, muito se especulava sobre a qualidade do álbum, ainda mais depois de Noel Gallagher anunciar que o novo disco teria o pouco promissor título Where Did It All Go Wrong? (onde foi que tudo deu errado?). Encerradas as gravações, num intervalo de poucas semanas, o baixista Paul McGuigan e o guitarrista Paul Arthurs anunciaram a saída do grupo e alguns tablóides chegaram a divulgar que os músicos teriam jogado a toalha devido à baixa qualidade do novo material.
Os dois desertores foram prontamente substituídos respectivamente por Andy Bell (ex-Ride e Hurricane # 1) e Gem (ex-Heavy Stereo) e o "novo" Oasis mudou o nome do disco, mostrando que absolutamente nada deu errado. Pesado como Definitely Maybe, com uma riqueza melódica impressionante, como (What’s The Story) Morning Glory?, mas sem abandonar as experimentações psicodélicas que marcaram Be Here Now, este CD atesta a maturidade dos irmãos Gallagher, que, ajudados pelo competente produtor Mark Stent, tiveram a liberdade e o tempo para concretizar todas as suas idéias em dez enxutas músicas.
Com o título tirado da frase do físico Isaac Newton cunhada na moeda de 2 libras, Standing On The Shoulder Of Giants é um álbum em que Noel não tem vergonha de mostrar a raiz de suas principais influências, sejam elas Beatles, Led Zeppelin e Pink Floyd, ou Chemical Brothers e Goldie. "Fuckin’ In The Bushes", a faixa de abertura, é a que melhor sintetiza tudo isso, misturando um loop de bateria eletrônica com samplers tirados de um filme sobre o festival na Ilha de Wight, de 1970, num caldeirão sonoro coberto de guitarras e sintetizadores. "Go Let It Out" é o primeiro single. Com melodia pegajosa, tem tudo para se transformar num grande hit.
Mas o disco ainda guarda outras surpresas. Uma delas é a primeira composição de Liam, "Little James", uma balada lennoniana em homenagem ao enteado (filho da mulher, a atriz Patsy Kensit, com Jim Kerr, do Simple Minds). Se Liam compõe, Noel solta a voz em "Where Did It All Go Wrong?" e "Sunday Monday Call". A banda também mostra seu lado punk em "Gas Panic!" e a faceta rock em "Put Your Money Where Yer Mouth Is". É um disco que terá lugar cativo no coração dos fãs do Oasis.

Um comentário:

The Batman disse...

Pena que ele passou para a História como um dos álbuns mais fracos da banda, senão O mais fraco. Pessoalmente, acho que ele vale a pena só por conter "Where Did It All Go Wrong", que coloco no Top 5 do Oasis.